BANZAI Dramas

Fórum do Banzai Dramas Fansub


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

FANFIC [ONESHOT] - Always By My Side

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

1 FANFIC [ONESHOT] - Always By My Side em Qui Nov 13, 2014 7:30 pm

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Nome: Always By My Side
Autora: Ana (Missminki)
Grupo: BAP (Focado em Bang), Choi Simon

Gêneros: Colegial, Drama, Escolar, Lemon, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Violência, Yaoi.
Avisos: Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, linguagem imprópria, nudez, sexo, suicídio, violência.

Sinopse:
Choi Simon é um rapaz que veio de Portugal para a Coréia a fim de fugir dos problemas que tinha na escola. Entretanto, não se livrou deles, pois algo ruim lhe aconteceu.  Logo percebeu que a pessoa pela qual se apaixonara, o amava realmente. Mas era tarde demais!

Ver perfil do usuário

2 CAPÍTULO ÚNICO - World Behind Me em Qui Nov 13, 2014 7:33 pm

CAPÍTULO ÚNICO - World Behind Me

Seria este o meu fim? Seria este o dia em que partiria para sempre? Ei, Bang, ouves-me? Quero-te  aqui comigo, não quero ficar sem você, por favor, onde estás? Não te ouço, não te vejo, ei, me diz como posso sair desta situação? Lembra? Lembra do dia em que falamos um para o outro?

Flash Choi Simon On

- Bem turma este é o Choi Simon, espero que todos se deem bem. – Disse, o professor – Apresente-se, rapaz – Completou, virando-se para mim.

- Olá, sou o Choi Simon, vim de Portugal por motivos pessoais e estou aqui à poucos dias. - Disse curvando-me um pouco.

- Bem Simon, pode sentar ali ao lado de Bang Yong Guk.

- Certo. - Fui para o meu lugar.

Sentei-me ao lado dele, de perto ele era realmente lindo, aquele queixo e tudo... Mas o que eu estou pensando? Sou homem e, além disso, sou hétero. Controle-se rapaz, ainda não sabe nem falar direito! Primeiro preciso de confiança.

- Olá, sou o Simon, prazer. - Disse virando-me para ele.

- Eu já sei o seu nome. - Respondeu sem ao menos virar-se para cumprimentar.

- Estúpido (falei em português) - Disse dando atenção ao professor, em seguida.

- O quê disse? - Perguntou-me, virando-se para mim. Então, agarrou a minha camisa.

- Ah? – Olhei para ele sem realmente entender o quê havia dito ou porque estava com as mãos em cima de mim. Iria me bater? Iria dar cabo de mim ali? No momento seguinte, ouvi uma voz alta vinda do início da sala.

- BANG YONGGUK, O QUE RAIOS PENSA QUE ESTÁ FAZENDO? - Perguntou o professor, irritado.

- Foi ele quem começou! – Disse, Guk, ainda com as mãos agarradas em minha camisa.

- LARGUE-O – Gritou.

- Aish, mas foi ele... - Por fim, tirou as mãos de cima de mim.

- No fim da aula vocês, os dois, sala do diretor – Disse, o professor.

- Aish – Reclamou, Bang.

- Ah? Quê? - Perguntei de repente sem entender, de fato, o quê o professor havia gritado.

- ‘At the end of the class you have to go to the director’* - Disse um aluno que estava ao meu lado.

- O QUÊ? - Perguntei gritando.

- O quê foi agora? – O professor nos olhou.

- Nada, desculpe.

- Sou o Jongup. - Disse com um sorriso, o rapaz ao meu lado.

- Simon, prazer. – Respondi sorrindo também.

- Prazer Simon, sou o Siwon – Outro garoto se apresentou.

- Nome parecido! – Comentei. – Prazer.

- É verdade. – Ele voltou a olhar para o professor e eu fiz o mesmo. Por fim, a aula acabou e então eu tive que ir até ao diretor, porém, como não sabia onde ficava sua sala, Jongup levou-me até lá. Tive que esperar um pouco e depois quando me chamaram, entrei. Estavam todos conversando, mas como eu não entendia direito o coreano, fiz uma cara de quem estava na Lua, apesar de ouvir tudo. Percebi que não ia acontecer nada, pois o Bang estava todo normal e não demorou a sair da sala.

- Espere senhor Simon. - Falou o diretor para mim. Seria aquilo um mau sinal? Bang riu porque se livrou do castigo? Aish, ele quem me agarra e depois fica livre?

- Não volte a se meter com o Senhor Bang, senão vai ser bem pior para você.

- O quê?

- É o que ouviu. Sei que não entende muito bem, ainda, a nossa língua, por isso é que estou te falando simplificadamente. Deixe o senhor Bang!

- Tudo bem. – Assenti e sai daquela enorme sala

Voltei para o meu ambiente de sempre, sim, sempre andava sozinho e por causa disso era alvo de farsas e de humilhações. Saí do edifício porque ainda faltavam alguns minutos para voltar a aula. Então resolvi dar uma volta naquela escola, pois ainda não o fizera. Aquele lugar era realmente enorme, tinha zonas onde se podia ficar à vontade e descontrair, por assim dizer.

Quando dei por mim, já estava na parte de trás da escola, o espaço era bem grande e parecia não ter ninguém por ali. Seria proibido vir aqui? Possivelmente sim, mas estando aqui, não devo ter problemas já que assim ninguém me encontrará. Ouvi o toque do sinal soar, era melhor voltar para a sala.

Fim Flash Choi Simon Off

Ei Bang, está me ouvindo? O quê aconteceu comigo? Ei, por que não me responde? Custa tanto assim? Fiz alguma coisa de ruim? Por favor, me diz, não sei o quê fazer? Que barulho é este? Ei fale mais alto, não consigo ouvir, quem é você? Por que está aqui? O quê aconteceu comigo? Diz, ei... Onde vai?

Comecei a segui-lo, porém, de repente, ele parou e se virou para falar comigo.

- O quê pensa que está fazendo?

- O quê?

- Você não se lembra de mim?

- Não.

- Hey, como vão ser as nossas férias, Ninie?

- Neon?

- Acertou.

- Mas você não tinha...

- Sim.

- Então como está aqui?

- Simie você...

- Eu?

- Você...

- Eu morri?

- Ainda não, por isso tem que ir embora daqui!

- Como?

- Acorda Simie. Acorda.

Senti como se estivesse levando choques. Os meus olhos abriram-se, mas eu não consegui ver nada, só ouvia barulhos de todo o lado. O quê aconteceu? Porque tem tanta gente à minha volta? Onde eu estou?

- Acorda, Simie. - Mal me lembrava daquelas palavras e minha visão voltou ao normal.  Consegui ver tudo o quê estava à minha volta. Entendi o motivo pelo qual tinha tanta gente ali. Olhei para um lado e para o outro e vi Bang, de boca aberta, com lágrimas nos olhos, abanando a cabeça negativamente.

- Ei Bang... - Tentei falar, mas a minha voz não saia. Tentei me mexer, mas não me deixavam, só depois percebi que algo não estava bem. Sentia-me molhado, resolvi colocar a minha mão no chão e levantá-la, estava cheia de sangue, sim, o meu sangue. Voltei a virar a minha cabeça na direção de Bang e minhas lágrimas simplesmente saíram sem que eu desse autorização.

Ei Bang, você esqueceu, não foi? Aquele dia que nos marcou, aquele maldito dia em que me apaixonei por você. E você?

Flash Choi Simon On

As aulas da manhã chegaram ao fim e a hora de almoço chegou. Acabei de comer e fui para trás da escola; primeiro conferi se havia alguém, por sorte ninguém estava ali. Fui para o meio onde havia uma árvore e relva, sentei-me e encostei-me à árvore, em seguida coloquei os meus fones de ouvido e cliquei no play; a música que calhou desta vez foi uma coreana com o nome “Song Ji Eun (Secret) ft. Bang Yong Guk - Going Crazy”.

Olhando bem o nome da música, Bang YongGuk... Será ele? O da minha turma, o quê sentara ao meu lado? Não podia ser, não mesmo. Mesmo ele tendo a voz grossa, não podia, nem fodendo, não posso acreditar.

- Ei novato, está sozinho? - Perguntou-me, um rapaz.

- Não dá pra ver? – Respondi.

- Que brutalidade...

- Obrigado.

- Não era bem um elogio.

- Ah, tudo bem.

- E então, está sozinho ou não?

- Sim...

- Podemos nos juntar a você?

- Não, obrigado.

- Mas não há escolhas.

- Ah? - Disse ao virar-me para ele. Os outros garotos estavam à minha volta, com olhos de quem estavam possuídos, sedentos.

- Como um rapaz bonito como você, anda por aqui sozinho, por este lado?

- Primeiramente, gosto de andar sozinho, segundo isto é um lugar público e terceiro, bonito? Eu? Onde? - Perguntei ironicamente.

- Temos um garoto esperto aqui, não é pessoal? - Comentou para os outros e eles assentiram, depois começaram a rir.

- Aish.

- Garoto, levanta.

- O quê?

- Levanta.

- Não estou afim.

- Jong. - Ordenou para um outro que veio em minha direção e agarrou-me o braço.

- Ya, não me toque! - Disse

- Vai levantar?

- Vou... - Disse ao levantar-me.

Todos ficaram olhando para mim, eu já estava ficando nervoso com aquela situação, realmente queria sair dali o mais depressa possível. Então comecei a ouvir risos, estavam todos em pé, uns mais altos que eu, e uns da minha altura.

- O que vocês querem?

- Não é obvio?

- Não...

- E agora? - Perguntou ao chegar próximo de mim. Dei um passo para trás.

- Mas que raios você quer?

- Eu quero você...

E foi assim que tudo aconteceu. Todos em sua vez, fizeram o TRABALHO que queriam fazer. Uns agarraram-me para eu ficar imóvel; os outros estupraram-me até não poderem mais. Ah, sim, aquela sensação outra vez. Havia fugido para a Coréia por causa do que estava acontecendo como naquele momento, em plena luz do dia. Os meus olhos só choravam, a minha voz desaparecera no primeiro momento em que um deles enfiou o seu membro para depois dar uma forte estocada. Logo outro ocupou o lugar e, enquanto esperavam, os outros tocavam-se, masturbando-se ali à minha frente. Comecei a sentir algo escorrendo pelas minhas pernas, imaginei que fosse sangue, e, por acaso, estava certo.

- Mas o quê está acontecendo aqui? - Alguém perguntou, enquanto os garotos entreolhavam-se. Eu conhecia aquela voz. Aqueles que estavam à minha volta tiraram os olhares de mim e olharam para os que haviam chegado; aproveitei a deixa para colocar a minha roupa por cima. Descobri que era mesmo sangue, senti-me fraco e tonto, mas consegui correr o mais longe que podia dali.

- Simon? - Alguém chamou o meu nome, mas não consegui olhar para trás e continuei a correr.

Eles viram o meu estado, estava no chão, com marcas bem visíveis de sangue.

- Jongup, vai atrás do Simon. - Disse Bang, ficando irritado com aqueles seres que estavam à frente deles.

- É para já! - Jong correu para ver se ainda conseguia me encontrar, e por acaso, conseguiu. Eu estava deitado no chão, sem conseguir me mexer com uma dor imensa em meu corpo.

- Agora é conosco. - Rosnou Bang - Gostaram da brincadeira foi?

- Claro.

- Agora vamos à minha brincadeira? – Perguntou.

- Que brincadeira?

- Esta. – Aproximou-se e deu um murro no que parecia ser o líder. - Não volte a aproximar dele, entendeu? Ele é meu. Que fique bem claro.

- Ei Simon, está bem? - Perguntou-me, Jongup.

- Não consigo me mexer. – Disse, por fim.

- Anda, eu te ajudo. - Disse ao levantar-me - Precisa ir ao médico.

- Não, estou bem, já não é a primeira vez que me fazem isto. – As lágrimas começaram a cair.

- Pronto, anda, vem comigo. – O segui com muito custo.

- Onde vamos? – Questionei.

- A minha casa. – Disse, ele - É aqui perto, vou cuidar de você.

- Obrigado.

- De nada.

Ele me levou até sua casa, ajudou-me a despir e me colocou na banheira para que tudo saísse do meu corpo. Vi a água completamente vermelha com o meu sangue. Voltei a chorar.

- Ei, calma, o Bang já tratou deles.

- Como assim?

- Não irão te fazer mais nada.

- Ah?

- O Bang, gosta de você, Simon, só não admite, ele é assim.

- Ah?

- Vai, anda. - Ajudou-me a levantar e colocou-me na sua cama virado com as costas para cima. Fiquei completamente envergonhado com aquilo e logo depois senti algo frio me causar ardor.

- Ahhh, o quê está fazendo?

- Tentando estancar o sangue.

- Isso dói, para.

- Está difícil, fica quieto, me deixa cuidar de você.

- Não, ahhh, isso dói... - Gritava com as lágrimas nos olhos, aquilo realmente doía e não era pouco.

- Mas o quê? – Perguntou Bang, ao ver a cena à frente dele.

- Já chegou?

- Sim, mas o quê está fazendo?

- Tentando curá-lo! Ele não quer ir ao médico e meio que está difícil. Faz você, preciso ir comprar mais compressas.

- T-Tudo bem, eu faço.

- Ah, o quê? Não, não me toca. – Disse.

- Não reclame é para seu bem.

- Não olhe, não...

- Aish, Choi Simon, para de ser criança.

- Tudo bem...

- Como eles foram capazes de fazer isto? - Perguntou ao tocar em minha entrada.

- Bang?

- Meu pobre Simon. - Disse ao abraçar-me naquela posição mesmo. Fiquei completamente vermelho, sem reação, até sentir algo por baixo de mim dar sinal de vida. Eu não acredito que ele me deixou excitado, eu não acredito nisto.

- Bang... eu... – Tentei falar, mas ele logo percebeu a situação.

- O quê temos aqui? - Perguntou ao colocar a mão sobre o meu membro.

- O que está fazendo?

- Animando você ainda mais. - Disse quando começou a apertar meu membro, logo passou a fazer movimentos de vai e vem.

- N-não... – Gemi.

- Isso, quero ouvir você gemer o meu nome Simon. – Fez movimentos mais rápidos.

- Bang, eu, vou... - Ele parou os movimentos e me virou para ficar de frente para ele. Começou a beijar-me e logo pediu passagem com a língua.  Cedi com pressa, mas ele mudou o alvo para o meu pescoço até que passou para o meu peito. Eu realmente estava gostando daquilo. Sim eu o amo. Por fim, abocanhou o meu membro que já latejava.

- Não Bang, não faça isso. - Falei entre gemidos.

- Não vai me dizer que não gosta. – Ele falou olhando para mim.

- Bang, eu tenho sentimentos... Eu... - Disse com lágrimas nos olhos.

- Simon, eu gosto de você. – Contou-me no ouvido. Naquele momento senti-me corar, porém logo ele voltou a atenção para o meu membro e em pouco tempo depois não aguentei mais.

- Bang eu vou... – Desfiz-me na mão dele.

Nos dias seguintes, ele tornou a me tratar de forma rude como se nada tivesse acontecido. Comecei a me sentir mal com aquilo tudo, já não prestava atenção nas aulas e quase sempre chegava atrasado só para não o ver.

Acho que estou ficando com uma, como se chama? Uma depressão? Sim acho que é assim o nome, já tive uma, esta não é primeira, por isso daqui a uns dias vou começar a ficar mais sozinho, devo começar a faltar às aulas.

Mas naquele momento, o quê ocorreu fora a gota de água, Bang mais uma vez tratou-me como um nada.

- Ai, Simon sai da minha frente.

- Mas o quê?

- Ainda está aqui? Desaparece da minha frente.

- Ah, sim, vou fazer isso. - Mal acabei de falar e fui para a rua. Um caminhão apareceu e eu corri para a frente dele. Como ele ia numa velocidade elevada, não havia tempo para frear. A batida me fez voar uns metros para a frente até parar por completo.

- Adeus Bang... - Disse ao fechar os olhos.

Fim Flash Choi Simon Off

Olhei para Bang com as lágrimas nos olhos até voltar a fechá-los. Senti alguém agarrar a minha mão, voltei a abrir os olhos e vi Bang chorando em cima de mim e resmungando algo coisa como:

- Não me deixe Simon, por favor...

- Ei, Bang, você me ama? - Perguntei com os olhos meio abertos, por fim a minha voz saíra.

- Sim, eu te amo muito. - Disse ao agarrar a minha mão – Você vai ficar bem, vai recuperar e ficar comigo para sempre.

- Ei, Bang, promete que vai ser feliz, mesmo que eu morra, promete? - Disse com a voz fraca.

- Simon, você não vai morrer, não vai, não pode me deixar, não. - Disse banhado em lágrimas.

- Bang eu te amo. - E ali fechei os olhos repletos de lágrimas, mas com um sorriso sereno nos lábios.

Ver perfil do usuário

3 Re: FANFIC [ONESHOT] - Always By My Side em Sab Set 26, 2015 10:35 pm

Mays Santos


Banzai'Star
Banzai'Star
In love 2 Pervertido 2 olhos brilhando

Ver perfil do usuário

4 Re: FANFIC [ONESHOT] - Always By My Side em Qui Fev 18, 2016 3:46 pm

katherine nana

avatar
Banzai'Star
Banzai'Star
Linda fanfic, parabens amei a oneshot, realmente ficou muito boa Aways by my side entrou para as minhas favoritas fanfics.. Beijos

Ver perfil do usuário

5 Re: FANFIC [ONESHOT] - Always By My Side em Qua Abr 13, 2016 7:59 am

katarab


Banzai'Star
Banzai'Star
Feliz 4

Ver perfil do usuário

Conteúdo patrocinado


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum