BANZAI Dramas


Fórum do Banzai Dramas Fansub
 
InícioPortalCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 FANFIC - When Loves Comes First

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Ichinose
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 345
Reputação : 2
Data de inscrição : 30/04/2013
Idade : 24
Localização : Rochedo Casterly

MensagemAssunto: FANFIC - When Loves Comes First   Qui Jul 04, 2013 6:38 pm

Nome: When Loves Cames First
Categorias: SHINee, Big Bang, B.A.P, NU'EST
Gêneros: Universo Alternativo, Musical (Songfic), Comédia, Mecha, Festa, Escolar
Avisos: Heterossexualidade, Nudez
Autora: Missminki


Sinopse:
Hyura é uma rapariga que não tem pais,pelo menos é o que pensa, mas para já tem a ideia de não ter, o destino dela está marcado em ir para a Coreia, mas será que vai mesmo?
Durante a sua aventura, Hyura ou Inês,como a quiserem chamar, irá passar por várias situações e uma delas está envolvida um dos familiares dela, ou seja, irá conhecer o seu pai e o resto da familia que o pai tem, mas não posso estar aqui a contar tudo,vão saber de tudo na história, fiquem atentos para saberem mais.

PARA COMENTAR CLIQUE AQUI: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.].

_________________
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] Kang Ji Hwan | Joe Cheng ([Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]) | Lee Dong Wook [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Leia as Regras: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Missminki
Novo
Novo
avatar

Mensagens : 11
Reputação : 1
Data de inscrição : 14/05/2013
Idade : 27
Localização : Portugal

MensagemAssunto: Re: FANFIC - When Loves Comes First   Qui Ago 01, 2013 12:09 pm

Ensino Secundário
Estava a uns dias do fim de acabarem as aulas e ainda não sabia o que realmente queria fazer a partir do momento em que ia começar as aulas na Universidade. Todos os meus amigos, já sabiam o que queriam seguir, uns por vontade própria, outros por vontade dos pais. Como não tenho pais, fica mais fácil decidir, pois não tenho de pedir a opinião, mas se calhar até me falta isso, para conseguir tomar uma decisão. Para isso tenho a ajuda da minha melhor amiga, que é como se fosse uma irmã verdadeira. Mas voltando ao assunto da Universidade, pois eu adoro tudo o que tenha a ver com música, dança e até filmes e teatro, pronto, tirando estas conclusões, terei que escolher uma Faculdade de Artes, pois, mas onde eu moro, não há nada disso e a única que conheço não em Portugal e sim na Coreia, o pior não é isso, o pior é não saber falar nada e não conhecer ninguém lá, mas isso de conhecer é o menos, mas falar a língua deles é de mais, tenho de estudar muito para poder ao menos perceber o que eles dizem. Bem, está na hora de ir para a minha última aula do Secundário. (Sim, a última, mas os outros dias que faltam, aqui a minha escola costuma fazer assim uns jogos e outras atividades, para o pessoal ficar tranquilo e não ter aulas, até gosto destes últimos dias, como agora estou no último ano, não sou obrigada a ir a esses dias, por isso posso dizer que já estou de férias.) Por isso, vou-vos deixar um pouco à espera, mas não se preocupem, não demoro.
“Como vocês ainda não sabem da minha história anterior a esta, irei dizer, que em alguns momentos irão perceber de tudo. Não vou contar tudo de uma vez e sim aos poucos, não pensem que não é por eu não querer, só porque me custa a falar sobre isto e depois lá mais para a frente com mais calma e confiança conto-vos tudo.”
Viram? Não demorei, nada, acabei de chegar à escola, para ter a maldita última aula, até gosto da disciplina, mas pronto, tem de ser, tem de ser. Vou ali ter com a Ana, sim esta é que é a minha melhor amiga, aquela que vos falei anteriormente. Agora que me lembrei, ainda nem me apresentei, que cabeça a minha, sou a Inês Hyura, meio estranho, não é? Pois, Inês é nome português, agora Hyura penso que tem algo a ver até com a Coreia, não sei muito bem. Pois, não sei quem é a minha família, por isso não vos posso dizer.
- Bom dia Inês – gritaram o meu nome, quando vou a ver alguém estava a acenar para mim, era a Ana
- Olá – disse-lhe, ao aproximar-me dela
- Melhor? – perguntou-me
- De quê? – perguntei-lhe
- Do stress todo por causa de escolheres a universidade que queres ir. – disse-me
- Sim, já escolhi – disse
- Então, para onde te vais inscrever? – perguntou-me
- Para a Coreia – disse-lhe
- A sério? Para tão longe? – perguntou-me meio chocada
- Sim, quer dizer, ainda nem me inscrevi nem nada e também não sei se me aceitam. Por isso fica descansada, vais me aturar mais uns dias. – disse-lhe a rir
- Que piada, eu não te aturo. – disse-me com outro sorriso
- Então? Vamos entrar ou vamos ficar aqui até torrar? – perguntei-lhe
- Se desse fica aqui contigo para sempre – disse-me com uma voz meio esquisita
- O que foi, Ana? Ainda não sei se vou, também depois de entrares para a que queres, vamos deixar de nos ver, não é? Só nos vamos ver nas férias. É quase a mesma coisa. – disse-lhe
- Não é nada, mas enfim, a vida é tua, não é? Estou aqui para te apoiar, e sim tens o meu consentimento para te inscreveres. Mas que raio, isto não é nenhum casamento. Vamos logo, se não levamos sermão logo no último dia. – disse-me a rir
- Mas até lá, vamos curtir até não podermos mais. – disse-lhe ao dar uma corrida para a sala
- Isso mesmo, espera ai – disse-me ao correr atrás de mim
Algumas horas depois
Até que, enfim que acabou. Demoramos mais, pois a nossa diretora de turma, veio à sala, dar-nos as notas finais. Como era de esperar, nenhuma nega, tive tudo 19, menos as três disciplinas, que foram 18 e 17, já não é mau, mas podia ser melhor. Agora é só esperar as notas dos exames, para fazer a média e assim já me posso inscrever na universidade, mas antes disso, tenho de escolher uma suplente, caso não consiga entrar.
- Então, pessoal? Bora sair logo à noite? Para comemorar o nosso sucesso? – perguntou o aluno mais cómico da sala, o Pedro.
- Que sucesso? – perguntei-lhe
- Então, de termos terminado finalmente o 12º - disse-me
- Meu, nem me venhas com essa, e por falar nisso, nem todos conseguiram fazer – disse-lhe
- Mas mesmo assim, veem também – disse-me
- Não contes comigo, estou noutra onda – disse-lhe ao pegar nas minhas coisas e ir em direção à porta para me ir embora.
- Espera por mim Inês – gritou a Ana ao correr para me apanhar
- Não sei porque lhe ainda chamas de Inês, se ela é Hyura – disse o Pedro
- Pela tua informação, Inês, também consta no meu nome – disse-lhe ao mandar-lhe uma careta com a língua
Saímos dali e fomos para minha casa. Ficamos ali a pensar, no que íamos fazer naqueles dias. Uma coisa ficou bem clara, a Ana iria ficar aqui em casa, para não ficar sozinha, já que os pais dela terão que ir à terra deles, por causa do avô ou avó que está doente. Agora a parte mais chata, o que iriamos fazer, para passar os dias, sem ficar sentadas no sofá a ver televisão ou no pc.
- Bem, acho que abriu uma escola de dança ali no fundo da rua, podíamos ir para lá – disse, para quebrar o silêncio
- Pode ser, mas não vamos fazer só isso – disse-me
- Tirando sair à noite durante dois dias, hum, as danças, hum, sei lá, cinema? Piscina? – disse
-Cinema parece-me bem. Compras também não é má ideia, pois estou a precisar de novas para a faculdade. – disse com um sorriso na cara
- Isso também é verdade. Dormir até tarde. Soa ainda melhor – disse-lhe
- isso então. – disse-me
- Agora lembrei-me, temos de dividir tarefas – disse
- A sério? – perguntou-me
- Claro – disse
- Não custa nada, uma fica encarregue do almoço, outra do jantar, depois uma fica encarregue de limpar a casa e assim – disse
- Hum, fico com o almoço – disse-me
- ok, então fico com o jantar – disse
- Certo – disse-me
- Mas o que vamos fazer agora? – perguntei-lhe
- Compras? – perguntou-me
- Não. Vamos ver a tal escola. – disse
- Ok, vamos lá então – disse-me
Inês Ana
• Jantar • Almoço
• Limpeza da Cozinha • Limpeza da Sala
• Limpeza do Quarto • Limpeza do WC

O quadro que veem em cima é o acordo em que chegamos, assim com duas pessoas já fica mais fácil de fazer as coisas derivadas à casa.
Voltando ao assunto, fomos então à tal loja, até parece ser fixe, têm aulas de todo o tipo de dança, o que me destacou foi uma aula que diz KPOP, nunca tinha ouvido falar em tal coisa. Decidimos e fomos ver como era, fiquei congelada ao ver aquelas pessoas todas a dançarem, acho que a música era a B.A.P - ONE SHOT. Amei, fiquei completamente apaixonada pela dança que estavam a fazer.
- Vão ficar aí a olhar, ou vão entrar e dançar? – alguém que parou de dançar e falou
- Pedimos desculpa, mas só estamos a ver – disse a Ana
- Se vão só ficar a ver, podem ir embora – disse com arrogância para a Ana
- Mas quem pensas que és para falares assim para ela? – perguntei
- Desculpa? – perguntou-me
- Ana, vamos embora, pode ser fixe, mas o ambiente é muito ruim, até já cheira mal. – disse-lhe ao agarrar o braço
- Olha lá, mas quem pensas que és, para falares assim? – perguntou-me
- Foi o que ouviste, vamos embora – disse
- Agora, não vais não. Desafio-te – disse-me
- Desafias-me para? – perguntei-lhe
- Dança, que mais devia ser? – perguntou-me
- Não sei se me apetece – disse

Vídeo da música B.A.P – One Shot - [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
-Ou não consegues – disse
- Agora chega, vamos a isto. E escolho esta música e a mesma coreografia. Pode ser? - disse
- Como queiras – disse
Começou ela a dançar e depois de ela terminar era a minha vez, o júri era uns rapazes que lá estavam. Ela vai ver como elas lhe mordem. Não sabe com quem se meteu. Vou fazer aquela parte que o rapaz faz, no chão e continuar com a coreografia que eles estavam a fazer. Devem estar a perguntar, porque sei aquela parte do moço, sim eles têm a música a dar com o videoclip deles. Como sou boa a decorar passos de dança, então está tudo na boa para mim. Por fim chegou a minha vez, lá fiz a dança.
- E para te derrotar, aqui vai a minha melhor parte. – disse-lhe e comecei a fazer.
Ficaram todos de boca aberta. Pareciam que tinham visto um fantasma, ri-me tanto, mas tanto, que parecia que ia morrer. A rapariga ficou com uma cara a olhar para mim.
- Olha lá, isso não estava na nossa coreografia – disse irritada
- Não, à pois não e porquê? Por não a conseguires fazer? A pois é. – disse a rir-me
- Ela tem razão Sofia, não conseguimos fazer esta parte e tens de admitir ela conseguiu e bem – disse um dos rapazes
- Não admito, se era a coreografia que estávamos a fazer, não tinha o direito de mudar – disse ainda mais nervosa
- Confessa lá que ficaste com ciúmes, confessa, anda lá – disse
- Confessar o quê? A tua sorte e que tenho de me ir embora. Se não levavas – disse ao virar costas
- Que mal fiz eu? – perguntei
- Nada, ela é mesmo assim, não te preocupes. Mudando de assunto, és mesmo boa. Dançarina, foi o que quis dizer. – disse ao rir-se
- Obrigada – ri-me também
- Já agora sou o Felipe. Vocês, vão ficar por aqui ou não? - perguntou
- Prazer, sou a Inês Hyura e ela é a minha melhor amiga Ana. Ainda não sabemos, temos de pensar. – disse
- É, davas mesmo jeito, vamos ter uma apresentação amanhã e contigo de certeza que ganhamos. – disse
- Mas isso não se chama de plágio? Imitar a coreografia toda da música? – disse-lhe
- Não, pois arte dos passos fomos nós que criamos e a tua parte ia mesmo a calhar muito bem, mas também estamos a pensar fazer igual assim tínhamos mais possibilidade de ganhar. – explicou-me
- É bem, pensado, mas desta forma têm feito está melhor, e eu ajudo então, amanhã estarei aqui, o que preciso vestir? – perguntei
- Tens assim roupa tipo a mafioso? Se tiveres podes trazer, especialmente se tiveres em preto. – disse-me
- Vou ver o que tenho, mas sim, acho que tenho, tipo as roupas do videoclipe? – perguntei
- Sim parecido, só para não ser igual – disse
- Ok, amanhã aqui estarei – disse
- Amanhã às 9h da manhã- disse-me
- Ok – disse ao sair da sala
Já me deram, cabe dos planos de amanhã. Mas mesmo assim é uma coisa que gosto de fazer, por isso, está tudo bem, também é só amanhã, por isso. Agora tenho de ir às compras, pois, tenho de ter roupa para dançar amanhã, agora aonde é que vou comprar este tipo de roupa? Aqui é muito difícil de se arranjar, mas vou ali a uma que é capaz de ter.
Então eu e a Ana fomos a essa tal loja, a sorte é que tinham roupa tipo como ele pediu, vamos ver se fico bem com elas, apesar de ser tipo roupa a rapaz. Experimentei, gostei, foi pagar, o preço não foi muito em conta, mas também a posso usar depois no dia-a-dia, por isso é na boa. Agora acho melhor ir comprar comida, pois não me apetece fazer o jantar, passamos numa loja onde compras-mos a nossa comida, depois passamos em casa da Ana para levar algumas roupas e outras coisas dela, para minha casa.
Finalmente em casa, coloquei a comida na cozinha depois era só aquecer e dirigi-me à sala onde tinha o meu pc lá. Peguei nele e pesquisei a Universidade para a qual queria ir, uma coisa percebi, que já estavam a aceitar inscrições, então comecei a preencher a ficha, mas só não respondi a uma, à nota total, ou seja, a média do meu 12º ano. Claro, ainda não sabia a nota dos exames que tinha feito, se me lembro, acho que saiam hoje ou amanhã. Será que já estarão na net? Acho que vou dar uma espreitadela. Antes de ir ajudar a Ana com as malas. Olha parece que já à qualquer coisa.
Nossa, eu não acredito nisto, Ana, chega aqui depressa.
- Que foi?
- As notas já saíram
- A sério?
- Olha aqui
- Deixa cá ver, só tive 17
- Só tiveste? Tomara, ter essa nota
- Oh Hyura, de certeza que tens mais do que eu. És a melhor aluna da turma
- Não quer dizer nada
- Então vamos ver, Inês Hyura, aqui está, eu não acredito, tu tiveste isto?
- Deve haver um erro, só pode
- E foste a única da turma que teve. Parabéns miúda.
- Obrigada, penso
Devem estar a pensar a nota que tive, pois vou-vos dizer, tive a nota máxima, sim tive 20 no exame de Português, no de matemática e 19 no de Biologia. Mas mesmo assim fui a melhor aluna do 12º ano nos exames, acho que com isto conseguirei ir para a Coreia. Por falar nisso, tenho de acabar a inscrição, também só faltam as médias. Deixa cá ver, somando isto tudo, depois dividir e fazer uma conta de vezes, dá-me uma média de 19,5, ou seja, isto arredondando tenho uma média de 20. Ainda devem pensar que sou uma croma dos livros, mas nem sou, vou-vos dizer, não consigo pegar num livro para estudar, pois, devo ter um cérebro muito bom, porque ouço o prof a falar a matéria e fica guardada na minha cabeça, se por acaso disse que ficava em casa a estudar, claro que não ia estudar para a escola, mas sim, treinava e ainda treino, digamos que sou louca por dança e por cantar, e de representar também, apesar de só ter feito representação escolar.
A ficha acabou de ser entregue, pelo menos sei que viram, pois antes de enviar o mail, coloquei na opção de ser avisado, caso o mail tivesse sido lido. Mas não vão responder logo, não é? Quer dizer, estas coisas não demoram a serem feitas? Pois é o que penso também. Bem, está na hora de ir fazer o jantar. Pois, nem vou fazer nada, só colocar nos pratos e aquecer no micro-ondas, como já tínhamos comprado antes de virmos para casa.
- Ana, anda, vamos comer e depois ajudo-te com as tuas coisas, no quarto. – disse-lhe
- Ok, mas também não é muita coisa, é mais a roupa. – disse
- Mas mesmo assim, é minha obrigação de te ajudar.
- E eu agradeço, doida
- Doida não
- Claro que és, não se vê logo? Então vamos sair hoje?
- Não me parece, se quiseres podes ir, mas eu, lembras-te, tenho uma apresentação amanhã, lá do clube de dança.
- Já me esquecia. Mas não te importas que vá?
- Eu não, vai à vontade
- Obrigada. E escusas de esperar por mim, venho tarde.
- Hum, amanhã nem te acordo então.
- Obrigada
- Nada
- Que foi?
- Nada, vamos comer, se não fica frio outra vez
- Vamos
Acabamos de comer, ajudei-a com a loiça, depois fomos para o meu quarto, sim, como sou sozinha, só tenho um quarto, apesar de o apartamento se grandito para uma pessoa só. Por fim, acabámos de arrumar e fui para a sala ver um pouco de tv, enquanto Ana tinha-se enfiado na banheira para o seu banho de beleza.
Nisto, tocam à campainha.
- Mas quem será? Já vai. – disse ao dirigir-me para a porta
- Sim?
- Olá, a Ana está?
- Sim, por acaso está a acabar de tomar banho. Deves ter vindo busca-la, não é?
- Sim, sou, já agora sou o João
- Prazer, sou a Inês Hyura. Podes-me chamar de Inês ou de Hyura, como quiseres
- A.ah, ok
-Entra, fica à vontade
- Já agora, este é o Zelo, ele pode entrar certo?
- Sim, claro, se são amigos da Ana, por mim tudo bem.
- Por acaso ele acabou de chegar da Coreia, é músico, e veio cá, por causa de um concurso que vai haver de grupos de dança.
- Aquele, da escola de dança ali ao fundo da rua, que por acaso também vai participar?
- Sim
- Boa, recrutaram-me para fazer parte e para dançar uma parte, difícil para eles, por isso é que, me quiseram lá. Enfim. Como é nome da música mesmo? Já sei, se nãome engano é One Shot dos BAP, penso eu.
- Essa música é do grupo onde participo – disse o Zelo
- A sério? Que fixe, já agora, foi a minha primeira música de KPOP, que ouvi e que vi o videoclip.
- Really?
- Sim
- Olha Inês, posso fazer-te uma pergunta? – perguntou o João
- Sim
- Tu não és portuguesa, pois não?
- Desculpa?
- É que, pelo nome e pela forma dos teus olhos
- O que tem os meus olhos? Para mim são normais, nem se quer são iguais ao do Zelo
- Sim, mas são parecidos. Quando ris é que se nota.
- Sinceramente, nem eu sei. Só sei que falo português, por isso. Já agora, estou a morar sozinha desde os 16 anos. Também, se fores perguntar, não, não tenho pais. Que eu saiba.
- Não ia perguntar, mas já que disseste.
- Só para evitar perguntas.
- Certo
- Oh, já chegaste João? – Perguntou Ana, enquanto entrava na sala
- Sim e trouxe companhia
- E quem é este belo rapaz?
- Chama-se Zelo
- Olá Zelo, prazer, sou a Ana
- Prazer – disse Zelo
- Ele não fala muito bem português, se é que me entendes
- Já percebi. Então vamos?
- Sim
- Boa saída – disse Hyura
- Não vens connosco? – perguntou João
- Hoje não vai dar, senão amanhã nem dançar conseguirei
- Tu lá sabes
- Até logo ou até amanhã – disse Ana
- Adeus. Foi um prazer Zelo
- Kamsamnida
Pv’s do Zelo
Mas, o que acabei de ver? Ela é definitivamente linda. Mas no que estou a pensar? Só a vou ver amanhã, por isso. E já estou a dizer que a vou ver amanhã, nem falar com ela falarei, de certeza. Mas porque fiquei com ela na cabeça? Só por ser linda? Não pode não é? Pois, também acho.
Fim Pv’s Zelo
Finalmente o meu sossego de segunda-feira à noite, sentada no sofá a ver televisão. Ainda querem melhor que isto? Também acho que não. Como a maioria dos portugueses têm zon ou meo, pus-me a mudar de canais, para ver o que dava de especial, até que me apercebo de um canal novo, um tal de KBS, uma coisa era certa, português não era falado ali. Mas como vi a minha serie favorita a dar noutro canal, irei para lá, depois voltarei para este.
Nisto o meu telemóvel começa a tocar, estico o braço para o agarrar e ver quem era. Que estranho, porque a mãe da Ana, está a ligar-me. Irei saber agora. Resolvo atender.
- Sim?
- Inês?
- Sim, sou eu
- A Ana, não está ai?
- Não, ela foi sair
- Mas, não estás com ela?
- Não, não me estava a sentir bem para sair também. Mas o que se passa? Aconteceu alguma coisa?
- Bem, sim, é que o avô ficou muito pior e está a pedir para ver a neta, queria dizer-lhe isto, é muito importante, ela tem de vir. Por favor Inês, tens de lhe dizer, ela tem de vir o mais rápido possível.
- Eu vou-me encontrar com ela e vou-lhe dizer, não se preocupe. As melhoras, para o avô da Ana.
-Obrigada Inês. Muito obrigada
- Ora essa, de nada.
Agora que ia ficar deitada no sofá a ver televisão. Bolas. Agora tenho de me arranjar, aff, vou-me vestir, não me apetece nada. Mas vá tem de ser. Também não me vou demorar. Deixa cá ver, acho que vou vestir a roupa que tinha antes de entrar em casa. Visto, os meus calções, coloco um top e uma camisola e calço as minhas sapatilhas. Bem, desculpem meus lindos Dean e Sam, mas vou ter de vos ver numa próxima altura. Pego nas chaves de casa e no casaco e saio de casa. Ligo para a Ana e nada, é nestas alturas que devia ter o número de telemóvel dos amigos dela. Fogo. Cada vez mais, começo a pensar que a Ana que conheço, não é aquela que veio falar comigo a primeira vez que me viu. Algo não está bem.
Pv’s da Ana
Bolas, não param de me ligar. Desligo a chamada e por fim o telemóvel. Volto a conversar com o pessoal.
Fim do Pv’s da Ana
Agora tem o telemóvel desligado, eu não acredito nisto. Com sorte sei onde ela está. Vou lá espreitar. Por fim chego ao tal bar/discoteca, entro lá para dentro e procuro por ela. Parece que acertei no bar, ela está ali ao fundo ao pé de um montam de rapazes, realmente nunca pensei.
- Boa noite – disse
- Inês?- pergunta a Ana
- Sim sou eu. Precisamos de falar. – disse-lhe com ar de chateada
- Não quero falar
- Mas quero eu, chegas ali? Ou vou ter que te obrigar?
- Pronto, eu vou
- Muito bem
- Mas o que é que foi?
- O que foi? Telefonam-te e não atendes. Telefono-te, desligas-me a chamada e depois o telemóvel. Mas o que andas tu a pensar?
- Não me apetecia falar
- E porquê? Por estares rodeada de rapazes? Ainda, por cima estrangeiros? Mas que raio andas a fazer?
- Mas afinal, o que foi?
- A tua mãe ligou, tens de ir imediatamente para a tua terra
- Porquê?
- O teu avô piorou e quer ver-te
- Mas não vou agora
- Tens de ir. Mas o que é que te deu? Tu sozinha ali no meio daqueles rapazes, ainda, por cima bonitões?
- Amiga, aproveitar a vida que ela é curta de mais
- O que te aconteceu? Tu não és assim.
- Que mal tem em mudar?
- Nenhum, o problema é que estás a mudar para o lado errado, só isso
- Então, meninas, o que estão para aqui a conversar? – Interrompe o João
- Não é nada, é a Inês, que está a parecer com a minha mãe. – responde a Ana
- Um dia, vais ver, que eu tinha razão. Mas quando esse dia chegar, se calhar até vai ser tarde de mais. – disse Inês
- Ok. Ok. Já que aqui estás, anda beber um copo, connosco. – disse Ana
- Boa ideia, junta-te a nós. – disse João
- Só um copo, aceito. – disse
Eu não sou de beber, mas já que ali estava, não podia dizer que não. Tinham de me por logo ao lado do Zelo. Logo ao lado dele. Mas não é só que ele que é uma brasa, mas todos os que ali estavam.
- Começando as apresentações. – disse João. – Este é o Bang Yong Gook, o Kim Him Chan, o Yoo Young Jae, o Jung Dae Hyun e o Moon Jong Up.
- Mas podes trata-los por Yongguk, HimCham, YounJae, Daehyun, Jongup e Zelo, que ao qual já conheces. – disse a Ana
- Prazer em conhece-los – disse
- Mannaseo bangawoyo – disseram todos em coro
- O quê? – perguntei
- Nice to meet you – disse o Zelo
- Oh, nice, nice – disse
- Inês, bebe, bebe que bem precisas – disse o João
- Eu não bebo álcool, se queres saber – disse
- Vou pedir mais bebidas – disse o João
- João, pede uma cola para mim – disse
- Ok – disse João
Pv’s João
Vou até ao balcão para pedir as bebidas. Nisto chega o Pedro, o rapaz que costuma estar atrás do balcão a servir as bebidas aqui ao pessoal.
- Yoo, mais uma rodada e arranja-me uma cola, mete só um bocadito e vodka nela. – disse João
- É para já. Podes ir, já mando entregar.
- Ok meu. Hoje o ambiente está muito fixe.
- Sim, também não era de esperar, trazeres aqui um pessoal daqueles, nunca pensei
- Trabalho, meu, trabalho
- Sei
- Bem até já
- Adeus
Fim do Pv’s do João
- Já pedi, daqui a nada já devem trazer – disse João
Nunca estive tão calada como hoje, tirando mais que tinha muitos olhos a olharem para mim. Não sou assim tão bonita, para estarem a encararem-me, mas pronto. O que posso fazer? Não posso sair dali, simplesmente sem dizer nada, seria muito mau.
- Aqui estão as bebidas – disse uma empregada
- Obrigada – disse o João
Mas este silêncio, não se quebra? Eles são sempre assim quando saem? Acho que não. Bebo um pouco da cola, que estranho, tem um sabor esquisito.
- João, o que mandaste por na cola? – perguntei
- Nada, porque perguntas? – perguntou-me
- Porque tem um sabor esquisito. Agora a sério, o que mandas-te colocar? – perguntei
- Um pouco de vodka
- Mas tu estás parvo? Se eu pedi a cola é porque não posso beber álcool e ainda por cima não tenho os meus medicamentos comigo. – disse irritada
- O que foi? – perguntou a Ana
- O teu amigo decidiu colocar alcóol na minha bebida
- A sério?
- Sim.
- Tens ai os teus medicamentos
-Não, esse é o problema
-E agora? – disse Ana – João tu és doido, por acaso?
- Mas o que é assim tão mau de beber álcool?
- Ela não pode
- Preciso de água, alguém me ouve??
Deixei de ver e de ouvir, o que me rodeava. Só senti algo a agarrar-me. Acordo e vejo que estou deitada no meu sofá. Mas eu não tinha saído? Como vim aqui parar. Olho em redor e não vejo ninguém. Não me sinto nada bem, acho que me vou deitar. Levanto-me e vou em direção ao meu quarto, acendo a luz e vejo o que não queria ver. A Ana estava na cama com dois rapazes e na minha cama havia outros dois. Boa e agora onde ia dormir? Acho melhor voltar para o sofá, mas antes disso, tenho de ir ao wc. Chego ao wc, mas quem deixou a luz acesa? Bem, tanto faz. Entro pela porta a dentro quando de repente vi alguém ali em pé, parado em frente à sanita, ele apercebeu-se. Quando vou para dar um grito, ele apercebe-se e tapa-me a boca e fez-me o sinal com a outra mão em sinal para me calar. Afasto-me dele e peço desculpa e expliquei-lhe que não sabia, que estava ocupada e ele sorriu. Querem saber, quem ele é? Não é? Pois, então vou-vos dizer, a pessoa que estava em pé no wc é o Zelo. Pois, ele mesmo. Podia ser qualquer um, mas tinha que ser ele. Virei as costas e fui para a sala e sentei-me no sofá. Passado uns minutos, Zelo aparece e sentasse no sofá ao meu lado e começou a olhar para mim.
- Precisas de alguma coisa? - perguntei
- Realmente gosto de ti no estado em que estás
- Porque dizes isso?
- Porque agora, neste momento estás a falar a mesma língua que eu
- Estou?
- Sim
- Não percebi
- Mas assim é melhor, assim percebo-te
- Vieste de prepósito a Portugal só por causa do concurso?
- Sim, depois vamos ter um conserto no Brasil
- Fica ainda bem mais longe
- A sério?
- Sim, ficado outro lado do oceano
- Não sabia
- Então só ficas em Portugal até amanhã, não é?
- Infelizmente sim
- Infelizmente?
- Sim, assim não te volto a ver
- Pois, já que não somos do mesmo pais
- Tens mesmo a certeza?
- Do quê?
- De que não és Coreana?
- Para dizer a verdade, nem eu sei
- Devias tentar saber dos teus antepassados
- Não sei se quero
- Porquê?
- Não quero ter um desgosto
- Percebo, mas algum dia, tens de saber, não é? Digo, se eu estivesse na mesma situação que tu, queria saber tudo, mas tudo mesmo.
- Acho que tens razão. Mudando de assunto, ficas-te fora da cama, não é?
- Parece que sim e tu também
- Pois, acho que dormir no sofá é uma experiência nova
- Também acho
Ambos, rimo-nos até que me apercebi que estava a dar-me muito bem com o Zelo, pelo menos com ele consegui falar normalmente. Ambos acabamos por adormecer, cada um com um sorriso nos lábios. Acordo e reparo que estou com a cabeça em cima das pernas do Zelo, levanto-me logo e vou até à janela. Já é de manhã, masque horas deveriam ser? Peguei no meu telemóvel e vi, 7 horas da manhã, ok, isto foi muito cedo. Bolas, dói-me a cabeça e o estomago, tenho de tomar o meu comprimido, se não, não vou conseguir dançar. Passo pelo sofá, sem fazer barulho e vou para a cozinha, nisto já lá se encontravam Yongguk e o HimCham, não estavam propriamente a fazer o pequeno-almoço, estavam num momento muito mais romântico, fiquei ali especada a olhar para aquilo, sem conseguir reagir. Só não estava à espera.
- Bom dia – disse por fim, eles pararam o que estavam a fazer
- Bom dia – disseram em coro
- Só vim buscar isto e isto e já saiu – disse ao sair da cozinha
Acreditam nisto? Nunca pensei em ver cenas como estas ao vivo. Preciso ir ao quarto, buscar as roupas, mas não posso fazer barulho, pois ainda estão mais pessoas a dormir. Pessoal comigo em um, dois, três e silêncio. Primeira tentativa passada, agora, onde está o saco, hum, já vi, está ali. Pego no saco e saiu dali o mais rápido possível. Terminada com sucesso a busca das roupas. Agora vou para o wc, tomar um banho.
Um bom banho pela manhã, não à coisa melhor. Não acham? Bem, acho que tenho de os acordar, eles dormem como uns bebés. Mas pelo que sei, eles vão ser os jurados e convém não se atrasem.
- Zelo, tens de acordar. – disse-lhe ao tentar acordar
- Hum? – respondeu
- Anda, tens trabalho e para além disso esta é a minha casa – disse
- Eu dormi aqui? Bolas, mas que horas são? – perguntou
- São 8h20, o concurso és às 9h00 – disse
- Tenho de ir
- Queres dizer, têm de ir
- Têm?
- Sim, tu e os teus amigos
- Estão todos aqui?
- Sim, vou acordar os que faltam
- Quem já está acordado?
- HimCham e Yongguk. Digamos que eles estão entretidos
- Entretidos?
- Sim
- Como assim?
- Oh, como hei de explicar? Estavam agarradinhos e aos beijinhos, pronto muito românticos.
- Descobriste?
- Descobri? Então não estava a sonhar?
- Não, não podes contar nada a ninguém
- O…Ok, não digo nada
- Obrigada, deixa que eu acordo os outros
- Tá
Enquanto ele foi chama-los, dei um jeito à sala e acabo-me de me arranjar. Pareço mesmo um rapaz assim. Gostei do visual assim. Boa escolha Inês, tens um ótimo gosto.
- Falas com quem? – pergunta o HimCham
- Quê? Com ninguém, quer dizer comigo mesma.
- É assim que vais atuar?
- Sim, não estou bem?
- Pareces-me alguém que conheço
- Quem?
- Saberás depois.
- Ok
- E sobre aquilo que viste, quero pedir-te desculpa e que não saia nada do que viste
- Já percebi, o Zelo também me disse a mesma coisa, não te preocupes
- Ótimo. Já agora
- Sim?
- Reparei que andas a pesquisar sobre a faculdade da Coreia
- Isso? Sim, procurei e mandei a minha ficha, mas ainda é cedo, para darem uma resposta, não é?
- Mandas-te quando?
-Ontem
- Então é. Daqui a um ou dois dias, saberás. Queres mesmo entrar?
- Quero. Gosto mesmo. Tudo o que tenha a ver, com música, teatro, cinema, televisão é o meu forte, amo mesmo.
- Espero que sejas boa nisso, pois vais precisar. Bem, boa sorte
- Obrigada
- De nada
Não estava à espera que ele me desejasse sorte e me aconselhasse, parece que conheci umas ótimas pessoas, valeu a pena ter entrado no concurso. Por falar nisso é melhor ir.
- Eu preciso de ir, vocês ficam bem? – perguntei
- Sim, vai, vamos sair logo, já chamei o carro para nos vir buscar – respondeu o Zelo
- Sendo assim, vemo-nos no concurso – disse
- Boa sorte – disse o Zelo
- Obrigada – disse com um sorriso na boca e sai de casa
Chego à escola e já lá estavam todos, quer dizer menos cinco pessoas. Aquela rapariga que me irritou logo no início e o resto deve ser tudo amiguinhas dela. Bem, enfim, se não vierem, também não fazem falta, somos muitos à mesma.
- Bom dia pessoal – disse
- Bom dia Hyura, bem, entraste mesmo no clima – disse o Filipe
- A sério? Pensava que não era isto – disse
- Estás ótima. Bem vamos pessoal? – perguntou Filipe
- Sim – responderam todos em coro
Saímos dali em direção à paragem de autocarro. Que comédia, todos vestidos assim como se fossemos famosos, a entrar num autocarro, claro que vai estar tudo a olhar. Mas pronto. Também deve ser uns cinco ou dez minutos, para lá chegar de autocarro. Nem imagino, a quantidade de pessoas que devem lá estar, ainda por mais com uma banda como júri, ainda devem ter mais gente.
Por fim chegamos ao local, como disse, gente, até de mais. Haviam ali uns grupinhos a gritar BAP, BAP. Ou seja, estavam a gritar pelo Zelo e os outros, mas porque tinha de falar nele, em vez da banda toda? Mas que raio se passa comigo? Dirigimo-nos todos a uma mesa, para nos inscrevermo-nos, pelos vistos já estávamos inscritos, fomos foi buscar uns números, para colarmos na roupa. Eramos os 10001, isso queria dizer alguma coisa? Claro, eramos os primeiros a atuar, por um lado até é bom, mas depois temos de esperar até ao fim, para sabermos os ressoltados. Enfim, também não tenho nada para fazer.
Parece que vai começar, nós já estávamos prontos, por isso podiam-nos chamar quando quisessem. Espero conseguir fazer bem a parte do Zelo. Logo agora, que tinha de ter de fazer a parte dele, agora tudo o que faça tem de ter o nome Zelo? Fogo. Isto é obra do destino? Não acredito. Bem pessoal, vou fazer a minha apresentação. Depois conto-vos como correu.
3 horas depois
Desculpem pessoal, esqueci-me completamente de vos contar como correu, bem na minha espectativa, correu bem, acho que fiz melhor a minha parte aqui, do que no ensaio. Vamos ver, afinal não demorou muito até chegar ao fim. Agora estou aqui em cima do palco, para saber que ficou em primeiro.
Parece que é agora, pessoal, rezem para que consigamos ficar em primeiro. Bem pelo menos em quarto e terceiro já não ficamos. Agora falta do segundo e o primeiro lugar. Eu não acredito nisto, pessoal, conseguimos, ficamos em primeiro. Não acredito nisto, só pode ser um sonho. A ajuda que dei, deve ter ajudado na escolha. Pelo menos fiz uma coisa certa. Ajudei a concretizar o sonho do grupo. Fiz uma boa ação. De repente sinto algo a vibrar no meu bolso de trás das calças. Pego no telemóvel e vejo que é a Ana. Atendo.
- Sim?
- Inês, só para te dizer, que já estou a caminho da minha terra e que arrumei tudo antes de sair de casa.
- Ok, obrigada, não era preciso
- Deixa isso, e então, como foi o concurso?
- Ligas-te na hora certa. Ganhamos.
- A sério?
- Sim.
- Parabéns
- Obrigada
- Bem, tenho de ir, depois para onde vou, não à rede, se acontecer alguma coisa, manda sms
- Ok, miúda, que corra tudo bem
- Obrigada
Volto, para onde o grupo estava, e imaginem quem se encontrava no meio deles. Os BAP, o Zelo e os outros. Estiveram todos a conversa e eu ali a olhar para um lado e para o outro. Volto a sentir o bolso de trás a tremer, foge, hoje ando concorrida. Saio dali e vou atender.
- Sim?
- Miss Inês Hyura?
- Yes
- Bem, queria confirmar aqui uma coisa, da sua ficha de inscrição para a nossa faculdade, é que aceitamos a sua candidatura e queríamos saber se pode vir imediatamente para aqui, por causa da entrevista
- Entrevista? Sim, posso
-Então, esperamos por si na Sexta
- Certo, obrigada
Não acredito, o dia não podia acabar melhor. Não acredito que entrei. Oh my god, entrei, entrei. Viva. Volto para o grupo.
- Bem, pessoal é muito bom ficar aqui, mas tenho que ir comprar um bilhete para a Coreia – disse
- Vais te embora? Pergunta o Filipe
-Parece que sim.
- E ainda por cima para longe
- Entrei na Universidade de lá, tenho de ir agora, pois vou ter uma entrevista
- Parabéns
- Obrigada. Tenho de ir. Adeus pessoal. Foi um prazer dançar com vocês.
- Prazer foi nosso e obrigada, por causa de ti, conseguimos ganhar. Já agora boa sorte
- Obrigada
Sai dali de dentro e comecei a procurar um táxi. Por incrível que pareça, nada de táxis. Ali a única opção será ir a pé até encontrar um táxi, que coisa de sítio, sem um táxi a passar. Começo a andar pela rua, até que uma carrinha preta, para ao meu lado. Olho e vejo uma porta a abrir-se e algo sai dali como se fosse um sapo. Confesso que me assustei. Depois percebi que era nada mais, nada menos que o Zelo. Só me faltava mais este.
- O que pensas que estás a fazer? – perguntei-lhe
- Vim, te dar isto e isto. – disse
- O que é?
- Abre
Ele entregou-me dois envelopes, o primeiro tinha um bilhete de avião, vejam só para onde. Para a Coreia. O outro envelope continha uma folha com o nome dele e o número de telemóvel. Quando fui a olhar para ele, para lhe voltar a entregar o bilhete, ele já não estava mais ali. Nem ele, nem a carrinha. Mas oque lhe deu, para me dar isto? Parece que vou ter de perguntar quando lá chegar. Acho melhor ir agora para casa, para arranjar a mala, pois já não tinha muito tempo, o bilhete está marcado para as 19h00 de hoje. Bem pessoal, desejem-me sorte. Vou nesta viver o meu sonho.
Fim do Ensino Secundário
Acabo de chegar ao aeroporto, nossa gente, que confusão está aqui. Nunca vi tanta gente junta, pareciam que deviam estar a dar doces. (Sou tão engraçada, só que não) Cheguei mais perto para ver e reparei que umas moças, estavam com cartazes, e a gritarem feitas parvas. Só depois percebi, que um grupo se aproximava, ao princípio, não percebi quem eram, depois é que reparei num que não parava de rir, mas a rir de uma maneira. Wow, até me deu vontade de rir também. Acho melhor ir até aos balcões, para me apressar, por causa do voo, quando viro de costas, sinto alguém a agarrar o meu braço.
- Mas o que pensas que estás a fazer? – pergunto ao virar-me, só depois percebi quem era. E dei por mim a ficar com a cara a arder.
- Olha, isso são modos de me tratar? – perguntou-me – Já agora, estás doente?
- Não porquê? – respondi
- Estás vermelha. – disse a rir-se
- Só estou com calor mais nada. Deixa-me em paz. Chato. – disse a resmungar
- Hum, calor, sei… - disse a voltar-se a rir
- Mas porque raio estás aqui? – perguntei já num tom de voz mais alto, ao qual as outras que estavam ali perto começaram a olhar e resmungarem entre si.
- Ora, se estou aqui é porque vou apanhar um avião, não? – disse e perguntou-me
- Isso é verdade. Já agora não devias falar comigo. – disse já com a voz mais baixa
- Porquê? – perguntou-me admirado
- Então, olha ali. – disse ao apontar com o dedo
- O que tem? – perguntou-me
- Depois, vão vir atrás de mim. Aviso já que não gosto muito de ser o centro das atenções. – disse ao levantar as mãos
- Vais, ter de te habituar. – disse-me
- Porquê? – perguntei
- Depois saberás. – disse – Bem tenho de ir e tu também, antes que percas o avião. – disse-me ao apontar para o relógio, eram 18h30. Já estou a ficar atrasada
- Ok. Adeus Zelo – disse, dando-lhe um meio sorriso
- Vemo-nos daqui a uns dias na Coreia. E já agora, terás de me agradecer muito bem pelo bilhete. – disse-me a rir e então começou a ir-se embora
-Bolas, tinha-me esquecido desse pormenor. Acho melhor pensar de pois, Já estou bastante atrasada. – disse ao dirigir-me ao balcão
Agora que me lembro, ali, aquele grupo viu-me a falar com o Zelo, acho melhor colocar um chapéu e uns óculos. Nossa, nunca pensei em usar uma coisa destas. Assim irei parecer como esses ídolos que se tapam a toda a hora. A sorte é que tinha lá em casa e trouxe porque quando quero dormir tenho de me tapar, é um vicio, meio doido eu sei, mas não posso negar o facto de adormecer assim do nada num banco e depois as pessoas veem e fica mal, na minha perspetiva. Já tinha feito tudo, para poder entrar depois no avião, ainda faltavam 15 minutos para a hora, então como vi ali um lugar vazio, acho melhor ir-me sentar. Sentei-me ali e coloquei os meus phones e comecei a ouvir música, que por sorte era uma das minhas favoritas, sem dar conta comecei a cantar em voz alta.
“Niga geuwa datugo
Ttaeron geu ttaeme ulgo
Himdeureo hal ttaemyeon nan huimangeul neukkigo
Amudo moreuge mam a-a-apeugo
Nijageun misomyeon tto damdamhaejigo

Niga hoksina nae maeumeul alge doelkkabwa
Arabeorimyeon uri meoreojige doelkkabwa
Nan sumeul jug yeo
Tto ipsureul kkaemureo
Jebal geureul tteona naege ogil

Baby jebal geuui soneul japjima
Cuz you should be my Lady
Oraen sigan gidaryeo on nal dorabwajwo

Noraega ullimyeon ije neoneun
Geuwa pyeongsaengeul hamkkehajyo
Oneuri oji ankireul
Geureoke na maeil bam gidohaenneunde

Nega ibeun wedding dress (x3)

Nae mameul mollajwotdeon
Nega neomu miwoseo
Gakkeumeun nega bulhaenghagil nan baraesseo
Imi nae nunmureun da ma ma mareugo
Beoreutcheoreom honja neoege malhago

Maeil bam geureoke buranhaetdeongeol bomyeon nan
Ireoke doelkkeoran geon aranneunjido molla
Nan nuneul gama
Kkeuchi eomneun kkumeul kkwo
Jebal geureul tteona naege ogil

Baby jebal geuui soneul japjima
Cuz you should be my Lady
Oraen sigan gidaryeo on nal dorabwajwo

Noraega ullimyeon ije neoneun
Geuwa pyeongsaengeul hamkkehajyo
Oneuri oji ankireul
Geureoke na maeil bam gidohaenneunde

Nega ibeun wedding dress (x3)

Budi geuwa haengbokhae
Neoreul ijeul su itge
Nae chorahaetdeon moseupdeureun da ijeojwo
Birok handonganeun na jugeul
Mankeum himi deulgetjiman (No oh!)

Neomu oraen siganeul chakgak soge
Hollo babocheoreom saratjyo
Ajikdo nae geunyeoneun nal bogo
Sae hayake utgo inneunde

Nega ibeun wedding dress”

Quando esta acabou reparei que todos os que ali estavam, estavam a olhar para mim, como quem nunca tinham visto. Senti-me corar com aquilo e depois ouvi umas palmas e dei um sorriso e agradeci. Levantei-me e peguei na minha mala de viagem, para ir para o avião. Quando alguém me toca nas costas e olho para ver quem era. Era um senhor, que nunca tinha visto mais velho.
- Estiveste muito bem. És cantora? – perguntou
- Não. Nem nunca cantei assim. – disse
- Mas devias, tens talento. – disse – Aqui fica o meu cartão. Como vais de viajem tens tempo para pensar. – disse ao entregar-me um cartão
- Mas não vou regressar tão cedo a Portugal. Como vou para muito longe. – disse
- Também, não sou daqui. Sou da Coreia do Sul. – disse-me
- Que engraçado, estou a ir para lá. – disse com um sorriso na cara
- Então assim até é melhor. – disse-me – Fico a espera do seu telefonema
- Certo – disse, despedi-me e fui em direção ao embarque do avião
Bem gente, vou entrar agora no avião. Por isso espero que me esperem com ansiedade, que eu também estou e com muita, espero não me perder quando lá chegar. Desejem-me sorte, amigos. Que bem preciso.
Horas depois
Acordo do nada, com a mulher a falar, estava a dizer que tínhamos acabado de chegar, quer dizer aterrar, porque já havia pessoas a levantar-se e a saírem. Devo ainda estar meia a dormir. Acho melhor ir também. Finalmente ar livre. Wow, isto é lindo. Vocês têm de ver isto. Lindo mesmo.
Agora, por onde devo ir? Agora vai-se tornar difícil. Primeiro tenho de… Tenho de quê? Mandaram-me vir e agora não está aqui ninguém, boa, muito bom, isto. Não acham? Agora, estou doida, mas quem disseque me vinham buscar? O avião fez-me mal. Tenho de arranjar um sitio para ficar. Mas não conheço nada daqui. Não acredito que tenho de usar o meu último recurso. Parece que sim. Pego no telemóvel e no papel que tinha no bolso e marco o número.
- Estou? – falaram do lado de lá
- Oi – disse
- Oi
- Hum, sou eu, a Inês Hyura – disse
- Aaaah miúda, sempre telefonas-te, mas nunca pensei ser tão cedo. – disse
- Diz-me – prossegui
- Que foi?
- Onde posso arranjar um sitio para ficar? – perguntei
- Ligas-me por causa disso? – perguntou
- Sim. Não conheço nada daqui. – disse
- Pois, esqueci-me. Bem, acho melhor ires a faculdade, lá têm dormitórios. – disse-me
- E como vou para lá? – perguntei meia envergonhada
- Bem, tens de apanhar um táxi e ele leva-te lá – disse a rir-se
- O-Obrigada. – disse e desliguei. Pá, fogo, que doido.
Lá fui apanhar um táxi e lá disse para onde queria ir. Ele levou-me lá em um instante. Paguei e fui por ali a dentro. Até que encontrei alguém.
- Desculpe – chamei
- Sim?
- Onde me posso informar? – perguntei
- Segues em frente e depois viras à direita.
- Obrigada – disse e segui o meu caminho
Cheguei ao tal e edifício e entrei, fui direta a uma mesa que lá estava.
- Desculpe-me – disse
- Sim? Precisa de ajuda?
- Tenho uma entrevista marcada. – disse
- Vá até aquela sala e espere pela sua vez. –disse
- E onde posso deixar a minha mala? – perguntei
- Ali ao lado tens um cacifo, podes colocar lá
- Obrigada
Fiz tudo o que aquela pessoa me disse e fiquei à espera que me chamassem.

As horas foram passando e eu ainda à espera que me chamassem, nunca pensei que teria tanta pessoa para entrar nesta universidade, não é à toa que é a melhor faculdade de artes.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Mays Santos
Banzai'Star
Banzai'Star


Mensagens : 102
Reputação : 0
Data de inscrição : 20/06/2015

MensagemAssunto: Re: FANFIC - When Loves Comes First   Sab Set 26, 2015 10:33 pm

In love 2 Pervertido 2 olhos brilhando
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
katherine nana
Banzai'Star
Banzai'Star
avatar

Mensagens : 121
Reputação : 0
Data de inscrição : 02/01/2016
Idade : 23
Localização : Goiania/ GO

MensagemAssunto: Re: FANFIC - When Loves Comes First   Qui Fev 18, 2016 3:38 pm

Muito interessante esta historia, se continuar do geito interessante que esta, com toda certeza vou continuar lendo.. Boa sorte e parabens
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
katarab
Banzai'Star
Banzai'Star


Mensagens : 117
Reputação : 0
Data de inscrição : 13/04/2016

MensagemAssunto: Re: FANFIC - When Loves Comes First   Qua Abr 13, 2016 8:00 am

Feliz 4
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
vany lima
Novo
Novo
avatar

Mensagens : 3
Reputação : 0
Data de inscrição : 11/04/2016
Idade : 24
Localização : fortaleza

MensagemAssunto: Re: FANFIC - When Loves Comes First   Qui Ago 11, 2016 6:39 pm

Feliz 4 In love 2 In love
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: FANFIC - When Loves Comes First   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
FANFIC - When Loves Comes First
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» FANFIC - When Loves Comes First
» FANFIC - When Loves Cames First - Comentários
» FANFIC - Namorando meu Ídolo
» FANFIC - Laranjas
» FANFIC - Still You

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
BANZAI Dramas :: FANFICS :: MÚSICA-
Ir para: